16 abril 2009

Tão bem como ninguém...

Como uma dança? Mais que dois pra lá, dois pra cá... Eu fechei os olhos. É possível sonhar acordada quando o nosso sonho está tão perto! Uma mistura de Smirnoff Ice com meu perfume 212, o aroma inexplicável. Eu nunca perguntei que perfume ele usa, até porque, querendo ou não, o tempo que passamos juntos não deu pra perguntar sobre coisas tão abstratas quando o físico diz tudo. O que eu sei é que tudo combinada e era controverso ao mesmo tempo. Cada toque, cada passo e a música? Ah. A música também insistia em combinar. As danças e a poesia interligadas. Poderia citar Ana Carolina, Chico Buarque, Lenine, Kid Abelha ou outras bandas que muita gente acha que são as únicas que possuem letra. A primeira coisa que vi quando fui comprar licor de chocolate na barraca do Arraial foi ele. Com uma blusa preta nada despojada, calça jeans e sem querer olhei para os pés. Vi um tênis branco que me deixou á pensar: ‘Será que ele sabe dançar?’. Vi a sombra celha separada, diferente de dois anos atrás quando ele foi me ver no colegial me pedindo um beijo que me senti inocente o bastante para dar. Um ‘Oi’ saiu de minha boca, mas ficou tão reprimido que nem mesmo o vendedor que insistia em me dar o troco ouviu. Foi ali que terminamos de consumar o fato de que havia mais que um casal e milhares de pessoas ao redor com uma banda de forró. Havia sentimentos...
¨¨
‘As ruas desse lugar conhecem bem as noites longas, as noites pálidas
Quando eu te procurava. As casas desse lugar se lembrarão
Do nosso abraço, da sombra insólita, espelho azul no chão
As ruas desse lugar, agora eu sei, sempre escutaram a nossa música
Quando eu te respirava. As pedras municipais se impregnaram
Da dupla imagem, da dupla solidão, a sombra ali no chão
E lá no céu constelações num arranjo inusitado
O seu nome desenhado, pelo menos tinha essa ilusão
Se buscavam como a gente, pelo menos tinha essa ilusão
São milhares de estrelas singulares, letras vivas no céu.’
...
E ninguém viu. Somente eu e ele. Depois de meia hora tirei a prova: Ele sabe dançar. Tudo se encaixou. Minhas pernas na dele, a música, meu licor de chocolate com o licor de maracujá dele. Minha blusinha branca, calça jeans preta e sandália salto fino ficaram tão simples quanto as palavras que ele me dizia. Nada mudou durante os dois anos passados. Quem antes puxava os pêlos de meu braço no portão do colégio exigindo um beijo pra não dar viagem perdida, agora puxava minha calça folgada nas pernas e olhava em meus olhos me pedindo um pedaço do mundo pra que ele pudesse viver. Eu me senti como se estivesse descobrindo um novo ser. O meu ser dentro dele. Meus olhos brilhavam e no dois pra lá, dois pra cá minhas pernas bambearam. Será que só eu sentia isso? A primeira música que dançamos...
***
‘Você entrou na minha vida de repente
E me pegou de corpo aberto sem querer
Amar de novo pra não sentir novamente
O gosto amargo da saudade e do sofrer
Ai você se aproveitou dessa fraqueza
Fez o seu jogo de amor e sedução
Entrou no jogo e pra ganhar, virou a mesa
E como premio conquistou meu coração
O que sera que fez você chegar assim tão de mansinho
Fazendo tudo pra ganhar o meu carinho
Fazendo tudo pra ganhar o meu amor
E encontrou a porta aberta sem ferrolho e sem tramela
E no meu peito a cicatriz com o nome dela
Ai você apostou tudo e me ganhou’
***
O tempo acabou, como na maioria das vezes que nos encontramos. Foi bom cronometrar pra que cada minuto fosse importante. O primeiro dia se passou e os outros não foram diferentes. Passamos sete meses assim. Vivendo como se cada segundo fosse o último até ele se cansar de amar. ‘Você me ama demais. Me maltrate mais. Me deixe mais.’. E o meu mundo caiu, mesmo meu nome sendo Danielle e não Maysa. ( Risos ). Tempestades, palavras sem pensar e eu dei motivos. Hoje, depois de nove meses, tirei lições que jamais teria aprendido se ele não estivesse passado nas estradas de meu coração. Aprendi á ser eu. Viver e deixar coisas inúteis de lado. A vida passa tão depressa. Não vou dizer que esqueci e que vivo nas maravilhas porque me contradizer é a última coisa que quero. Ouço músicas depressivas, choro de vez em quando e pergunto pra Deus se ele tem uma resposta pra tudo o que aconteceu.
***
Vou bater porta pra quem abusou de mim
Esse meu rosto triste não nasceu assim
Era bonito que nem flor de croata
E então zangado era danado pra cheirar
Tinha alegria que jorrava noite e dia
Mas se excedeu pra um tal malvado de um amor
Que não deu gosto, só deu desgosto e tudo em fim
Foi até bom que me ensinou a ser ruim.’

9 comentários:

Khaos disse...

Haha, te entendo bem... E se a gente pudesse, voltaria e faria tudo de novo, certo? Se um dia a gente tem que aprender da forma mais difícil que nada é eterno, que seja...

continua a escrever que tu tá indo muito bem, Dani lõl

Danielle Cerqueira disse...

Eu não acredito no 'que seja eterno enquanto dure'.. =/
acho que esse é o meu problema.. quero tudo e ao mesmo tempo nada!



-
Obrigada, amigo.
=)

danilo disse...

o importante é fazer valer o momento e marcar aquilo na mente pra sempre ^^ massa Dani
adoro vc!!!

amanda lee jones disse...

eu releria esse texto mil vezes e, nas mil vezes, a cena se montaria na minha cabeça.
se não me engano, acho que presenciei todo esse momento, desde o olhar ... mas sabe, fico feliz que, apesar de ter sido difícil, uma lição tenha sido tirada ao final. afinal, nessa vida se aprende de tudo; desde amar até esquecer.

o texto tá lindo. maravilhosamente lindo.

p.s.: me dá um pouco da tua criatividade?

Anônimo disse...

É, prima. Você foi uma das pessoas que presenciaram esse momento.. e que momento, viu?? Das lições que tive eu prefiro nem comentar... mas sobre a criatividade eu aprendi com você!!!

te amo, prima...

p.s.: Obrigada pelas palavras, Dan! Também te adoro.

/polly_gif. disse...

Daani muito o lindo o texto. sua criatividade, forma de escrever é tão perfeita cara ,*-*. continue assim, irmã.

Jamille disse...

As vezes a dor é inevitável e as coisas da vida nem sempre são tão bonitas como reza a canção, mas o que nós precisamos saber é que tudo é superado com o tempo, e que isso que faz a vida ter um sentindo diferente para cada ser humano, porque a cada nova descoberta passamos a entender o porque de muitas coisas e construimos um amanhã diferente, sei que a dor é muito ruim, mas se usarmos isso como base iremos construir uma história melhor a cada dia.

Anônimo disse...

Lindo texto Dany...hauahua
Q momento em??rsrrs
Bjo, te adoroo.
Gaby

Danielle Cerqueira disse...

Todos os que escreveram entenderam o motivo desse texto! Decepção não mata..ensina a viver! Frase muito dita mas pouco vivida.

Obrigada.

p.s.; Mille, sei que você me entende como nunca! Te amo!