02 abril 2010

Mais um dia se vai...

Tinha até esquecido da existência disso aqui.

Grandes coisas aprendi nesse meio tempo que não escrevo. A primeira delas é que quando um não quer, dois não brigam. A segunda é que você nunca pode deixar de ser você mesmo. Não pode mudar de caráter, não pode ser influenciado. Cabeça limpa de todos e de tudo. A terceira delas é que na maioria das vezes, quando não sabemos muito o que fazer, é porque realmente não há nada a que fazer. Tentamos, quebramos a cara, e depois repetimos tudo de novo a menos que o erro tenha deixado marcas. Daí, quando você vai em cima da cicatriz antiga e faz uma outra ferida, ela fica funda. Nunca apaga. Depois... Só depois disso, nunca repetimos o mesmo erro que antes. Demorou pra que eu aprendesse isso, mas é a velha ideia: antes tarde do que nunca. Quarta coisa que aprendi e que serve como dica: nunca saia de perto de sua terra, de sua família, de seus amigos. Não deixe para trás uma vida inteira pra recomeçar em outro lugar. Aquela historinha de que recomeçar, não se apegar, não ficar fixo em uma coisa só pra mim são puras ilusões. Quem fez e se deu bem, parabéns. Eu não tô me dando. Aí vem aquela indecisão e a vontade de partir e recomeçar a velha vida que deixou pra trás. Num pense nisso. Pense em dar continuidade. Se eu continuar escrevendo vou ter que produzir uns 300 textos. Então a minha ideia e não conselho que fica hoje é que aconteça o que acontecer, mantenha a cabeça erguida e a espinha ereta. Eu conto os dias pra voltar pra minha terra.

Nenhum comentário: